Estamos sendo acelerados pela Shell!

A shell anunciou as empresas e empreendedores selecionados para fazerem parte do lançamento da aceleradora de energia da Shell LiveWire Brasil.
Dez empresas foram selecionadas para serem aceleradas e receberem 36 horas de treinamento e participar do ecossistema de inovação na área de energia.

O anúncio, em inglês, está em: Shell Livewire Brazil launches energy solutions accelerator

Óculos inteligentes no Brasil?

Há poucos anos, existia grande desconhecimento a respeito de realidade aumentada. Esta tecnologia começou a ficar mais conhecida com a comercialização do Google Glass. Apesar de várias pessoas saberem a respeito do Google Glass, um número reduzido utilizou ou viu um dispositivo destes de perto. Menor ainda é o percentual de pessoas no Brasil, devido ao reduzido número de unidades que aqui chegaram. Após a repercussão inicial das bem sucedidas ações de marketing da Google, o Pokémon Go aproximou mais ainda as pessoas da realidade aumentada. Por ser jogado em smartphones, um número bem maior de pessoas pode experimentar, inclusive no Brasil.

Recentemente, com maior conhecimento sobre a existência da tecnologia, tem aumentado o interesse no Brasil a respeito de soluções de realidade aumentada, principalmente para a indústria. Para muitas aplicações da indústria, é necessário manter as mãos livres, assim existe maior interesse no uso de óculos inteligentes. Uma dúvida recorrente entre as empresas com quem temos trabalhado em conjunto para a realização de provas de conceito e projetos piloto é qual modelo adquirir.

Se você tem acompanhado os artigos recentes que escrevi, dentre outros, descrevi trabalho que realizamos para empresa de elevadores utilizando óculos inteligentes no campo, apresentei artigo da Wired com novos lançamentos, e fiz uma breve análise do Magic Leap One em outro artigo. É importante notar que apesar das notícias sobre estes dispositivos, nem todos são realmente produzidos em escala industrial e comercializados. Menor ainda é a variedade disponível no Brasil.

Acredito que todos que estão testando ou utilizando estes óculos inteligentes no Brasil estão tendo que importar por conta própria. O último modelo disponível no Brasil era o Epson Moverio BT-200 que utilizamos em nosso trabalho de manutenção de campo. A Epson lançõu o Moverio BT-300 para substituir o BT-200, mas ainda não o vi a venda no Brasil.

Você sabe de algum modelo que esteja atualmente à venda no Brasil?

Originalmente publicado em https://www.linkedin.com/pulse/óculos-inteligentes-brasil-enylton-machado-coelho

Digitalização da Produção

Como está a sua estratégia de indústria 4.0 e digitalização da produção?

Estudo da empresa de consultoria McKinsey com empresas na Alemanha, Brasil, China, EUA, França, Índia e Japão identificou que apesar de aproximadamente 70% das empresas pesquisadas dizerem que digitalização é uma prioridade, a maioria enfrente problemas para passar da fase de projeto piloto para produção.

O relatório sugere focar em seis fatores de sucesso em três áreas:
Processo, Infraestrutura e Organização.

Processo:
– Abordar a oportunidade pelo lado do ganho financeiro, ao invés de pelo lado da tecnologia
– Estabelecer uma visão clara e criar um planejamento em fases de como a digitalização criará vantagem competitiva

Infraestrutura:
– Criar no início uma visão das tecnologias que são escaláveis e prontas para coletas de dados analíticos para suportar as fases do planejamento
– Construir um ecossistema de parceiros de tecnologia para gerenciar o desenvolvimento das tecnologias necessárias

Organização:
– Liderar a digitalização do topo e coordene a implementação por vários setores, no lugar de um projeto isolado de TI.
– Construir as habilidades para obter impacto e a cultura para sustentá-lo.

O artigo original, está disponível em https://www.mckinsey.com/business-functions/operations/our-insights/how-digital-manufacturing-can-escape-pilot-purgatory

IoT- Camada de Interação

A internet da coisas (em inglês Internet of Things – IoT) é um conjunto de soluções e abordagens quem permite a conexão de aparelhos e equipamentos à internet. Em grandes equipamentos, são instalados sensores que se conectam à rede internet e enviam dados para serem são armazenados em servidores conectados à mesma rede internet.

Os dados gerados em grande quantidade e armazenados nos servidores criam uma representação digital correspondente aos equipamentos físicos que deram origem a estes dados. Muito provavelmente, estes equipamentos foram projetados com a utilização de ferramentas digitais. Desta forma, existe toda uma representação digital do mundo real, desde os modelos utilizados para projetar e construir os equipamentos, bem como os dados correspondentes à utilização de tais equipamentos. Estes modelos e dados digitais formam o gêmeo digital dos equipamentos físicos que existem no mundo real.

Para algumas pessoas, a internet das coisas permitirá uma quase completa automação das atividades, com algoritmos que analisariam a grande quantidade de dados gerados, robôs e maquinas que se auto configurariam e se auto corrigiriam, caso houvesse necessidade. No entanto, para muitas atividade e indústrias, a completa automação pode enfrentar grande resistência seja por questão de custos, complexidade das tarefas, regulamentação, etc.

Outra abordagem é disponibilizar de maneira intuitiva o acesso ao gêmeo digital no próprio local do correspondente físico. Esta abordagem é possível através do uso de tecnologias de realidade aumentada. Desta forma, o gêmeo digital pode ser exibido, sobreposto aos equipamentos e permitir a interação das pessoas com o mundo físico, sendo assim um fator de enriquecimento e potencialização da capacidade da mão de obra.

Tendo em vista o aumento de complexidade dos sistemas, as perdas associadas às paradas dos ativos e o alto custo de treinamento da mão de obra em várias indústrias, o uso de realidade aumentada como camada de interação para as instalações de internet das coisas se apresenta como a solução natural para o aumento da produtividade da força de trabalho.

Este texto foi inicialmente publicado no LinkedIn Pulse

Magic Leap One

Em mensagem anterior,no canal da empresa no linkedIn, falamos sobre artigo da revista Wired que trata do expectativa do lançamento de novos dispositivos para realidade aumentada em 2018. Nesta semana (dezembro de 2017), a grande novidade é o anúncio da empresa Magic Leap a respeito do lançamento de seu primeiro produto: Magic Leap One.
A empresa não divulgou muito mais informação sobre o dispositivo, mas a partir da foto, e comparando com outros dispositivos já disponíveis no mercado, é possível tentar antever algumas características.

Como base de comparação podemos utilizar o Hololens, da Microsoft, que está disponível no mercado há mais de um ano. Vários desenvolvedores têm acesso ao dispositivo, já tendo sido utilizado para realização de dezenas de projetos piloto em diversas partes do mundo.

Podemos notar que o Magic Leap One tem oito câmeras. As câmeras na lateral do dispositivo provavelmente serão utilizadas com a mesma finalidade das câmeras no Hololens: mapear o espaço ao redor e permitir melhor localização do dispositivo no ambiente. O dispositivo tem um par de câmeras localizadas logo acima do apoio do nariz. Estas provavelmente são RGB, como as utilizadas em telefones celulares.

Enquanto o Hololens coloca todos os componentes em um aparelho único, o Magic Leap One é composto por duas partes. Muito provavelmente a bateria, e alguns eletrônicos não estão nos óculos, reduzindo assim o peso sobre o apoio do nariz.

Somente pela imagem não é possível inferir informação sobre o campo de visão e para isto precisamos aguardar mais informações do fabricante ou desenvolvedores. Também ainda não há informação concreta sobre preço, mas parece ser muito difícil custar muito menos que o Hololens.
O que você acha? Você compraria um destes dispositivos? Qual valor estaria disposto a pagar?

PS: eu não tive acesso ao dispositivo e a análise aqui apresentada é baseada em comparação das fotos com dispositivo semelhante já conhecido.

Aviação: realidade aumentada considerada para manutenção não planejada

Nova pesquisa com várias empresas de manutenção de aeronaves considera a tecnologia de Realidade Aumentada relevante para resolver casos de manutenção não planejada.
A pesquisa foi respondida por 150 profissionais. Segundo o texto, quase 60% das empresas consideraram a disponibilidade de aeronaves para operações um dos maiores desafios.
Mais de três quartos das empresas acreditam que realidade aumentada pode reduzir a impacto negativo das manutenções não programadas ao permitir o auxílio remoto aos técnicos de campo.

O texto completo em inglês está disponível neste artigo.

Manutenção de Campo com Óculos Inteligentes – parte II

Em artigo anterior, contei como foi a primeira fase do projeto de inovação para uma grande empresa de elevadores usando a solução de especialista remoto em óculos inteligentes Vista, desenvolvida na eyllo. Para retomar de onde parei, no último trimestre de 2016, Vista estava em uso em Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife com técnicos de campo utilizando sete óculos inteligentes conectados a especialistas em Porto Alegre.

Vista monitora o funcionamento, faz logs de utilização e gera relatórios de uso. Nas últimas semanas de Outubro de 2016, um dos relatórios de uso indicou acesso do Chile. Fui verificar se havia algo de errado com o código, já que os acessos deveriam acontecer em três cidades do Brasil. Já de noite, o gerente de inovação me ligou satisfeito. Disse que nossa solução foi usada para conectar um técnico de campo no Chile e especialista em Porto Alegre e que a qualidade do vídeo havia sido ainda melhor do que a que havia visto quando em uso por técnicos no Brasil.

O sucesso no uso de nossa solução entre Chile e Brasil deu ainda mais confiança ao cliente e levou o projeto para a fase seguinte. Na segunda fase o número de óculos inteligentes foi aumentado, para um total de trinta e um, e o uso ampliado para outros países da América Latina como Costa Rica, Peru, México,…

Com a aprovação para a fase seguinte, fizemos o pedido ao fabricante dos óculos inteligentes. Após pouco mais de um mês de espera recebemos os vinte e quatro novos óculos.
No primeiro trimestre de 2017, configuramos, instalamos nossa solução, e testamos individualmente, juntamente com a empresa cliente, cada um dos óculos inteligentes. Em fevereiro todos deixaram nosso laboratório prontos para serem colocados em campo no Brasil e outros países da América Latina.

No momento estamos conversando com diversos clientes potenciais, nos setores de aviação, saúde e energia, dentre outros, que pretendem testar nossa solução. Estas empresas perceberam que os benefícios da Plataforma Vista vão muito além da redução dos custos operacionais.

Manutenção de Campo com Óculos Inteligentes – parte I

No início de 2016 uma grande fabricante de elevadores precisava de ajuda para melhorar a efetividade dos técnicos de campo. O departamento de inovação desta empresa havia comprado um Google Glass mas não havia conseguido desenvolver uma solução. Nosso diretor de tecnologia da eyllo, foi a Porto Alegre levando óculos inteligentes, laptop, telefone celular, etc. e demonstrou nossa solução Vista de especialista remoto e gerenciamento de ativos.

Vista é composta de aplicativo rodando nos óculos inteligentes, portal na web acessado através de um browser e serviços na nuvem para gerenciamento da conexão e configuração da plataforma. Os óculos inteligentes se conectam por Wi-Fi, incluindo mobile hotstpot criado por um telefone celular.

O gerente de inovação escolheu um dos técnicos com mais idade e pediu que ele fosse ao elevador de testes e fizesse seu trabalho com nossa solução. O técnico caminhou sem dificuldade até o elevador de testes e realizou as tarefas com agilidade já que nossa solução deixa as mãos livres. Além disto, o técnico experimentou outro benefício de nossa solução: enquanto realizava suas tarefas ficou em contato com um especialista que se encontrava na sala de inovação, acompanhando o procedimento em tempo real.

Este teste bem sucedido levou o grupo de inovação da empresa a autorizar um piloto com duração de 6 meses utilizando 7 óculos inteligentes em Porto Alegre, Rio de Janeiro e Recife conectados a uma central de especialistas em Porto Alegre.

O serviço de telefonia móvel no Brasil ainda apresenta limitações de cobertura e capacidade de transmissão de dados, especificamente vídeo, que coloca maior demanda na rede. No interior de prédios é ainda mais difícil conseguir sinal de qualidade, por causa das frequências utilizadas para telefonia celular no Brasil.

Para lidar com as limitações da rede de telefonia, utilizamos protocolo de compressão adaptativo que ajusta a qualidade do vídeo de acordo com a capacidade de transmissão no momento. Avaliamos a qualidade de sinal nas regiões da cidade e indicamos os locais onde os atendimento teriam melhor qualidade. Além disto, desenvolvemos conjuntamente procedimento para posicionamento do telefone celular e verificação da qualidade de conexão.

Seminário de Simulação: Interatividade e Desenvolvimento Tecnológico

Nessa 5ª feira (10), a eyllo estará presente no 2º Seminário de Simulação de Interatividade e Desenvolvimento Tecnológico da FIRJAN.

O início do evento será às 8h, se estendendo até às 17h. Este seminário apresentará inovações e soluções tecnológicas para a indústria, com palestras sobre diversas áreas do segmento e stands com novidades e tendências em Simulação. O encontro reúne profissionais, empresários, desenvolvedores, técnicos, pesquisadores e investidores que procuram soluções tecnológicas – eficientes e competitivas – para atender às exigências de mercado.

As vagas para assistir às palestras do evento são gratuitas e limitadas. Para participar, o interessado deverá entrar em contato pelo 0800 0231 231 (ligações gratuitas de telefone fixo no estado do Rio) ou 4002 0231 (custo de ligação local).

Veja aqui a programação completa do seminário.