O sucesso das páginas ‘Spotted’ no Brasil. Só uma brincadeira?

 spotted_university

Nas últimas semanas, houve o crescimento exponencial das páginas ‘Spotted’ no Facebook Brasil. E se você é universitário certamente já ouviu falar delas. O termo em inglês ‘spotted’ quer dizer algo como flagrado, localizado, encontrado. E de onde elas surgiram? As páginas spotted apareceram pela primeira vez em algumas das maiores universidades britânicas, geralmente disponibilizando um espaço para mensagens anônimas de estudantes sobre outros alunos avistados, flagrados, nas bibliotecas da própria universidade. Por lá, a polêmica foi grande porque as mensagens muitas das vezes eram sexistas, racistas e ofensivas. Inclusive, muitas universidades saíram em defesa de alunos que se sentiam ofendidos e perseguidos e estão tentando tirar as páginas do ar. Veja matéria do The Guardian.

Aqui no Brasil, as páginas spotted também começaram pelas universidades, mas têm apostado mais na funcionalidade de um “correio do amor” moderno. Nelas, os estudantes que não têm coragem de falar pessoalmente deixam cantadas engraçadas ou picantes para outros estudantes, descrevendo-os. Se algum outro aluno reconhece quem é o ‘spotted’ da vez acaba entregando o alvo e aí ele ou ela decide o que fazer com isso. O sucesso é tanto que existem páginas spotted universitárias como a da PUC-Rio com mais de 12 mil fãs. Algumas universidades contam até com divisões por Campi, curso e até versões GLS. Mas, de fato, o bom humor tem sido o diferencial das páginas no Brasil.

Com essa mesma função, as páginas saíram das universidades e tomaram as ruas, já são encontradas páginas spotted para metrô, trem, noitadas e, pelo visto, a onda spotted só está começando. O sucesso também tem alcançado outros países como Argélia, Austrália, Canadá, França, Itália, Rússia e muitos outros. E se buscarmos na Google Play, já encontramos alguns aplicativos com o mesmo tema. No entanto, a questão ética ainda é a que mais afeta todos os ‘serviços spotted’. As páginas, em sua maioria, dependem de uma moderação realizada pelos seus criadores que são igualmente anônimos. Fica por conta deles decidir o que é ofensivo ou não, o que é interessante de ser publicado. Alguns tentam criar regulamentos e se comprometem com a exclusão do conteúdo em caso de ofensa, mas já podemos observar em muitas páginas do Brasil conteúdos de gosto duvidoso, sexista e ofensivo.

E você? Acha que tudo não passa de brincadeira ou as páginas spotted podem levar a problemas mais sérios nas redes sociais? Já participou de uma página spotted? Dê a sua opinião.

Comments are closed.