História da Realidade Aumentada Móvel

 

Parte VI 

A História da Realidade Aumentada Móvel chega aos anos 2000 em nosso especial e as aplicações estão se desenvolvendo rapidamente. Leia mais este capítulo e fique por dentro do caminho percorrido pela RA até os dias de hoje.

2000

Bruce Thomas e outros estudiosos do tema apresentaram o AR-Quake, uma extensão do popular jogo para desktop Quake. A aplicação em primeira pessoa AR-Quake é baseada num sistema de rastreamento de seis graus de liberdade usando GPS, bússola digital e rastreamento visual de marcadores fiduciais. Os usuários podiam vestir um sistema de computação numa mochila, um HMD (display de cabeça) e um dispositivo de input simples com dois botões. O jogo podia ser disputado em ambientes fechados ou abertos e os comandos de teclado e mouse para movimentos e ações eram executados por movimentos do usuário no ambiente real, usando o simples dispositivo de input.

ARQuake
Regenbrecht e Specht apresentaram também em 2000 o mPARD, um dispositivo de Realidade Aumentada passiva móvel, usando uma transmissão de vídeo wireless analógica para um computador servidor que ficou responsável pelo esforço computacional no lugar da plataforma de hardware móvel. Isto solucionava o problema do fornecimento de processamento para gráficos e cálculos para computadores vestíveis. Dois dispositivos foram apresentados e trabalhavam em conjunto, podendo ser usados tanto numa versão display portátil de realidade aumentada ou numa versão vestível usando uma câmera móvel externa e um display de cabeça. O sistema podia operar em ambientes abertos de até 300 metros e fechados de até 30 m, com bateria de duração de no máximo 5 horas de operação ininterrupta.

Simon Julier, entre outros cientistas, apresentaram o BARS: Battlefield Augmented Reality System, Sistema de Realidade Aumentada de Campo de Guerra. O sistema consiste em um computador vestível, um sistema de rede wireless e um display de cabeça modo see-through. O sistema foca em um cenário de guerra aumentado com informação adicional sobre a infraestrutura do ambiente, além de informações sobre ciladas do inimigo.

bars

E, finalmente, no mesmo ano, a Sharp lançou o primeiro celular comercial com câmera. O nome do modelo era J-SH04 e a câmera tinha resolução de 0,1 megapixel.

J-SH0401

 

Veja aqui as etapas anteriores na história:

Parte I, Parte II, Parte III, Parte IV e Parte V.

 

 

Comments are closed.