História da Realidade Aumentada Móvel

 

Parte III

 

Acompanhe-nos através da História da Realidade Aumentada Móvel com os fatos marcantes dos anos de 1994, 1995 e 1996.

Em 1994, Steve Mann começou a usar uma webcam acoplada em seu corpo por quase 2 anos. De 1994 a 1996, Mann usou uma câmera móvel e um display por quase todo o tempo. Os dois dispositivos eram conectados ao seu website permitindo que visitantes online vissem o que ele estava vendo e enviassem mensagens que apareceriam em seu display móvel. Mann é considerado o Pai da Realidade Aumentada e dos Computadores Vestíveis, e vem utilizando este tipo de dispositivo desde a década de 80.

 

Steve-Mann-years_web

 

Também nesse ano, Paul Milgram e Fumio Kishino escreveram o estudo “Taxonomy of Mixed Reality Visual Displays” (Taxonomia dos Displays Visuais de Realidade Mixada, em livre tradução), no qual eles definem o Continuum Realidade-Virtualidade. Milgram e Kishino descrevem um Continuum que expande do ambiente real para o ambiente virtual. Entre eles, existe a Realidade Aumentada, mais próxima do ambiente real e a Virtualidade Aumentada, que se aproxima mais do ambiente virtual. Atualmente, esta conclusão sobre o Continuum, de Milgram, e a definição de Azuma (1997) são aceitas como a definição geral de Realidade Aumentada.

 

Milgram_Continuum

 

 

Em 1995, Jun Rekimoto e Katashi Nagao criaram a NaviCam, presa por fios, similar ao Chamaleon de Fitzmaurice. A NaviCam também usava uma poderosa workstation em suas proximidades, mas possuía uma câmera instalada na tela móvel utilizada para rastreamento ótico. O computador detecta marcas codificadas por cor na imagem ao vivo exibida na câmera e mostra informação sensitiva ao contexto diretamente no vídeo de uma maneira que se pudesse ver através dela. Veja aqui o texto “The world through the computer: computer augmented interaction with real world environments”, de Rekimoto e Nagao.

 

Rekimoto_95

 

Jun Rekimoto apresentou em 1996 os marcadores matrix 2D (códigos de barra em formato quadrado), um dos primeiros sistemas de marcação que permite à câmera rastrear com seis graus de liberdade.

Rekimoto98

 

 

Continue acompanhando esta história quinzenalmente aqui no blog da Eyllo. Se você não acompanhou o início, veja aqui a Parte I e Parte II desta trajetória que está só no começo. Afinal, a Realidade Aumentada no Brasil e no resto do mundo caminha a passos largos em projetos que podem mudar nossa forma de interagir com o mundo. Não perca a próxima etapa!

 

Comments are closed.